Diferença entre CMYK e RGB?


Usar modo CMYK ou RGB? Isso causa uma enorme confusão na cabeça de clientes e pessoas leigas de um modo geral. Afinal, como as cores podem ser diferentes? E por que a impressão muitas vezes fica muito diferente do que se vê na tela do computador? A resposta está nos padrões de cores utilizados, o CMYK e RGB, o primeiro baseado em pigmentação e o segundo em luz.

Neste artigo você verá:

  • O que é CMYK?
  • O que é RGB?
  • Quando usar cada modo de cores?
  • Como alterar o modo de cores em diferentes softwares do design gráfico?

O que é CMYK?

O padrão de cores CMYK é baseado em pigmentos, se você pegar um cartucho de tinta colorida provavelmente nele terá um desenho com três círculos, eles representam as letras C, M e Y. Sendo Ciano, Magenta e Yellow, que junto com o Preto (representado pela K na sigla) formam as cores que vemos numa estampa de camiseta ou num cartaz, outdoor, etc – ou seja, tudo que é impresso é formado por CMYK.

As impressoras convencionais, aquelas que temos em casa, também se utilizam desse modo de cores, não apenas grandes gráficas. Ao usar um editor de imagens como o Photoshop, ao selecionar uma cor é possível alterá-la através de um menu específico, onde cada letra recebe um número de 0 a 100 (geralmente definido em porcentagem), e o tom de cada cor é alterado com esses números.

Diferença entre CMYK e RGB.
Diferença entre CMYK e RGB.

Como exemplo vamos utilizar a cor vermelha, que no modo CMYK criamos com a seguinte mistura:

  • C = 0
  • M = 100%
  • Y = 100%
  • K = 0

Se quisermos deixar este vermelho puro mais escuro, podemos adicionar um pouco mais de preto. Ou se quisermos transformar este vermelho em um verde podemos apagar todo o Magenta e adicionar 100% de Ciano. No vídeo a seguir é possível ver todas essas misturas CMYK serem feitas.

O que é RGB?

Diferentemente do modo de cores anterior, o RGB usa luz para formar as cores e é usado para trabalhos voltado para monitores, como o de seu computador. Como no exemplo anterior cada letra representa uma cor: R – Vermelho (red), G – Verde (Green) e B – Azul (blue). Os valores para se alterar uma cor em RGB vão de 0 a 255 (lembre-se que no CMYK os valores variam entre 0 e 100%).

Como exemplo de cores em RGB vamos usar 2 extremos que costumam causar dúvida em muitos designer: branco e preto.

Para fazer branco em RGB é necessário misturar o máximo das 3 cores:

  • R = 255
  • G = 255
  • B = 255

E como o RGB é formado por luz, para fazer a cor preta é só “desliga-la”, ou seja, colocar todos os valores em zero:

  • R = 0
  • G = 0
  • B = 0

Quando usar cada modo de cores?

Agora que você sabe a diferença entre CMYK e RGB fica fácil saber quando usar cada modo de cores: se vai imprimir use CMYK, e se vai usar em telas (computador, televisão, projetor, etc.) use RGB.

Exemplos de onde usar CMYK:

  • Cartões de visita;
  • Estampas de camisetas;
  • Cartazes e posters;
  • Revistas e jornais;
  • Folders;
  • Outdoors. etc.

Exemplos de onde usar RGB:

  • Apresentações Power-point;
  • Banners para internet;
  • Vídeos;
  • Postagens em redes sociais, etc.

Exceções no uso de CMYK e RGB:

Em uma situação específica pela qual o designer pode passar é necessário ter cuidado com uma exceção no uso de CMYK e RGB: imprimir em impressoras domésticas.

Exceções no uso de CMYK e RGB
Atenção designer: vai imprimir em impressoras domésticas. Geralmente o modo RGB fica melhor nessas situações.

Essas impressoras pequenas podem fazer confusão com arquivos CMYK, deixando-os geralmente muito escuros. Por isso é indicado primeiramente testar a impressão em RGB neste tipo de dispositivo.

Inclusive o Marco Lang gravou um vídeo especialmente para o pessoal que trabalha com sublimação, onde ele fala sobre quando usar RGB ou CMYK na Sublimação e evitar erros nas cores.

Mudando o sistema de cores no Corel Draw

Para trocar de CMYK para RGB no Corel, ou vice e versa, basta abrir seu arquivo e ir até o menu Ferramentas > Gerenciamento de cores > Configurações do documento, conforme a imagem abaixo.

Mudando cores no Corel CMYK e RGB

Depois em Modo de cores primárias selecione RGB ou CMYK e dê OK.

Selecione RGB ou CMYK.

Caso sua ilustração esteja toda em um determinado padrão de cores e você quiser mudar para outro, eu sugiro que utilize a ferramenta   do Corel Localizar e Substituir.

Mudando o sistema de cores no Adobe Illustrator

Para alternar o sistema de cores no Illustrator, abra seu arquivo, vá em Arquivo > Modo de cores e selecione entre CMYK e RGB.

Mudando o sistema de cores CMYK e RGB no Adobe Illustrator

A minha imagem esta em inglês pois prefiro usar os softwares da Adobe em linguagem  nativa, mas você não terá dificuldade em achar o caminho na sua versão em português. Caso queira mudar o sistema de cores de uma arte já pronta, sugiro que leia este texto.

Mudando o sistema de cores no Adobe Photoshop

Bastante parecido com trocar no Illustrator. Basta ir em Imagem > Modo e trocar CMYK ou RGB.

Como trocar CMYK e RGB no Photoshop

CMYK, RGB e suas diferenças nas estampas

Você deve estar se perguntando, e nas estampas, como funciona? Assim como existem diferentes formas de estampar, existem diferentes usos para cada sistema de cores. Se for fazer um desenho para serigrafia (chapados, policromia, indexação, etc.) eu sempre uso CMYK. Se for fazer algo para impressão digital, o ideal é você fazer testes com tabelas de cores, pois mais importante que o sistema de cores que você usar será o perfil de cores da impressora.

Espero tê-lo ajudado com a eterna dúvida da diferença entre CMYK e RGB. Ah, e jamais se esqueça, utilizar o sistema de cores errado pode ser desastroso.

12 comentários em “Diferença entre CMYK e RGB?
  1. Cara, não sei se eu estou errado, mas você sempre escreve CMKY quando na verdade é CMYK. Vi isso no artigo inteiro e em outro (o sobre fazer Halftone no Corel Draw, muito útil ;D), se eu estiver errado me corrija.
    Enfim era só isso.
    Bye Bye

  2. “(…) nele terá um desenho com três círculos, eles representam as letras C, M e Y. Sendo Ciano, Magenta e Ciano (…)”

    Ciano, Magenta e Yellow, você quis dizer, né?

    Abraços.

  3. Agradeço pela sua explicação; muito bem esmiuçada. Parabéns pela iniciativa. Aos Pascoales de plantão… valorizemos a iniciativa e a intenção.

  4. Você poderia explicar como o cmyk funciona para serigrafia? Mandei fazer fotolitos para uma determinada imagem que tem, entre outras cores, partes da imagem em vinho e marrom. Como posso, no padrão cmyk, reproduzir essas cores, já que, olhando os 4 fotolitos gerados eles são extremamente semelhantes, só mudando a direção e tipo de retículas?

    1. Não entendi direito sua pergunta. O ciano é azul, o magenta é um rosa, o Yellow amarelo e o black é preto. Não tem mistério.
      Se você tiver seu desenho em CMKY fica fácil de separar.
      Olhando no fotolito pode parecer estranho pois na cromia alguns pontos são sobrepostos para gerarem determinada cor, diferente do indexado.

  5. Quando for imprimir fotolito tem que ser em RGB para sair bem preto?as vezes faço arte no photoshop uso uns blush só q na hora q imprimi o fotolito fica meio verde nas partes q usei o blush ( borracha pra arte fica meio falhada ) o q será? Sera a impressora ? Ou alguma configuração?

    1. Tem que usar CMKY e olhar a composição de cores. Se quiser bem preto e a impressora for boa não pode ter nada em ciano, nem em magenta nem no amarelo, e 100% de preto na composição.

  6. Muito bacana! Agora me tire uma dúvida , e na sublimação, muitos usam RGB, mas a única justificativa é pq fica mais leve e isso não resposta pq tem total diferença de um para o outro.

    Quando sublimação vc usa rgb? Para estampa?

    1. Olá Henrique… o pessoal usa RGB, mas o ideal é sempre usar CMYK, pois a impressora até consegue converter o RGB em CMYK na hora de imprimir, mas nunca com tanta precisão como quando você usa o arquivo em CMYK. ABRAÇO

  7. QUAL A COR E MEDIDA CERTA PARA MEUS GRÁFICOS.? OS MEUS GRÁFICOS SÃO PARA INDUSTRIA TÊXTIL DO VESTUÁRIO.

  8. Eu fiz algumas estampas pra uma estamparia que imprime em RGB. Achei o máximo. A princípio achei super estranho, e o rapaz da área técnica me explicou (nem vou conseguir repetir aqui o que ele disse… rsrsrs). Mas a possibilidade de fazer em RGB me trouxe um resultado de cor sensacional. Os azuis mais celestes, que a gente não tem no CMYK, saíram perfeitos no tecido. Fiquei impressionada com o resultado do azul que usei (na água do rio e no céu), além dos verdes. Queria saber por que outras técnicas não conseguem alcançar uma impressão tão boa, e como chegar o mais perto possível dessas cores vibrantes numa impressão normal (seja em estampa ou papelaria)? Porque eu vejo algumas embalagens com essas cores bem abertas e fico tentando imaginar COMO a gráfica chegou a eles. Tem uma embalagem da fralda Babysec, com um azul bem cara de RGB (as outras cores tb), e eu queria saber se você poderia dizer como conseguem esse resultado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *