Como a tecnologia está mudando a maneira de fazer estampas

Já imaginou a quantidade de horas que as modistas demoravam para bordar os vestidos de suas clientes? Não? E se estivéssemos falando de dias, semanas e até meses? Sim, foi assim que começou toda a história das estampas. Só que de lá para cá, muita coisa mudou, as estampas se tornaram impressas, lindas e dispostas de uma tecnologia impressionante.

Tudo começou com a serigrafia, uma técnica já utilizada para fazer as propagandas antigamente, mas em 1929 quando a crise afetou os Estados Unidos com força, foi que alguns artistas começaram a pensar nela de maneira diferente, surgindo as primeiras peças de roupa com a arte aplicada. Nessa época não houve muita aceitação para tal forma de estampar, porém, ao fim da segunda guerra mundial, em meados de 1945, a estamparia chegou na Europa e em 1950 já começava a ganhar o mundo.

Esse trabalho facilitou as tarefas das bordadeiras, mas nem tanto. Para fazer uma peça serigráfica são necessárias telas diferentes para cada cor, isso por que a aplicação é demorada e requer paciência. Você aplica a primeira camada e coloca para secar, em seguida aplica a segunda e por aí vai, quanto mais colorida for sua estampa, maior o processo que ela vai ter que passar e consequentemente, mais tempo é gasto com isso. Além disso, é importante ter atenção com o enquadramento para não ter nenhuma perda das peças.

O processo funciona muito bem porém, além da produção ser demorada, a estampa desgasta e não fica a mesma com o passar do tempo. Com a evolução mundial cada vez mais na era digital foi-se criando novas formas de estampar e com isso nasceu a estamparia digital.

Surgiram já no século XXI, inovações para os processos de estamparia com novidades em impressoras para poder estampar, tendo processos como papel transfer ou impressão direta em tecido. Vários países, entre eles Japão, Coréia, China, Estados Unidos, e alguns outros, pioneiros neste segmento, disponibilizaram tecnologias de cabeça de impressão e impressoras para possibilitar estas inovações.

A estamparia digital faz com que a tinta penetre no tecido, permitindo que ele fixe melhor, aumentando sua durabilidade e qualidade. Com diversos tipos de equipamentos e velocidades de impressão tudo depende do investimento realizado e da demanda necessária, mas mesmo assim os processos mais antigos de estamparia ainda fazem parte do cotidiano até hoje e também tem um papel muito importante.

É uma boa opção para quem está procurando agilidade e tecnologia envolvida. O processo vai desde a seleção de perfil de cor, leitura de cores especificas e montagem da estampa no computador, até a aprovação da arte e impressão. Existem diversos tipos de tecidos que podem utilizar essa tecnologia, então deve-se verificar qual a demanda da empresa e qual o objetivo para seu produto.

Depois dessas formas de estamparia, surgiu a sublimação digital. Esse método é rápido e inteligente! Começa com a impressão feita no papel transfer em uma impressora convencional, em seguida essa folha é colocada em uma prensa térmica junto com o tecido que deseja estampar. Com a temperatura, pressão e o tempo de prensagem a tinta passa do papel para o tecido, e pronto! Além disso, se tiver um equipamento direto em tecido em poucos minutos seu produto está sublimado e pronto para ser utilizado.

 

Esse tipo de método é muito utilizado para fabricação de uniformes esportivos, que demanda cores fortes, personalização e resistência. A fixação da tinta na fibra do tecido faz com que a estampa seja muito resistente e não se desgaste com o uso diário. Além disso, a sublimação digital está sendo cada vez mais utilizada para cenários, bandeiras, banners, decoração de interiores, vestimentas/moda em geral e foto-produtos.

A sublimação digital também é um processo economicamente acessível pois, além de ter impressoras de diversos formatos, o custo para fazer uma peça ou várias é exatamente igual. Para fazer uma produção de baixa escala não há preocupações, pois, o processo não exige ajustes demorados e que tenham alto valor agregado.

Para saber mais sobre o mundo da estamparia e da sublimação você pode acessar o site da J-teck3 (http://j-teck3.com.br/)e encontrar diversas novidades. Se você for um investidor não deixe de dar uma olhada nos produtos! As tintas J-Teck são de fabricação italiana e possuem máquinas de vários tipos e tamanhos que atenderão toda sua demanda, tornando todo seu trabalho mais simples e vivo.

Publieditorial J-teck3, por Maria Luiza Morillo

Atenção antes de comentar

  • Verifique se a sua pergunta já foi feita por outro visitante. Não respondemos perguntas duplicadas.
  • O prazo médio para respondermos é de 7 dias.
  • Quer perguntar para mais pessoas? Acesse nosso forum http://estampaweb.com/forum/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*